Digitar Jamais: Como a Pesquisa Por Voz Pode Impactar o SEO

speak

O Google muda o seu algoritmo uma ou duas vezes por dia (+ de 500 lançamentos de algoritmos em um ). Mas grandes flutuações no rankings ocorrem raramente (pense no “Panda”, no “Penguin” e em outros assim). Essas são as atualizações com as quais os profissionais de marketing se importam.

Uma tendência significativa que deve dominar o futuro do SEO é:

Perguntas por voz no mobile…

A infiltração dos smartphones e a chegada dos assistentes pessoais geraram essa importância.

A pesquisa por voz é como uma conversa de duas vias e tem como objetivo ajudar o usuário a completar tarefas da sua vida em tempo real. Como reservar ingressos e fazer uma compra.

Mais do que links, usuários querem respostas diretas quando fazem uma pesquisa por voz. Então essas perguntas são inerentemente diferentes das típicas pesquisas por palavras-chave na caixa de busca.

Inicialmente, consumidores não eram muito animados com a pesquisa por voz.

Em 2013, 85% dos usuários de iOS  afirmaram que eles não usavam a Siri.

Mas avance para os dias de hoje: A Siri e o Google assumiram a liderança.

O Google mostrou enorme interesse por isso com o lançamento deste infográfico. Recentemente, ele lançou o seu próprio assistente pessoal Google home.

image01

Em uma análise de  850.000 perguntas, a Stone Temple Consulting verificou que o Google providenciou uma resposta direta em 19,5% das vezes. Em comparação, o Bing (mecanismo de busca da Microsoft) oferece respostas diretas somente em 1,1% das vezes.

Fora isso, uma pesquisa de Dezembro de 2015 feita pela Mindmeld descobriu que 60% dos entrevistados começaram a usar assistentes pessoais com pesquisa por voz  somente nos últimos 12 meses.

image25

Com uma adoção crescente e uma melhor experiência do usuário, você pode esperar que a pesquisa por voz continue crescendo exponencialmente.

Você está pronto para essa ruptura na maneira de pesquisa? 

Deixe-me mostrar para você como o contexto possui um papel vital na pesquisa por voz e nos recursos importantes das perguntas por voz. Você também verá como pode capitalizar com essa demanda crescente por respostas diretas nos celulares e tirar melhor proveito dos mecanismos de busca.

Como a introdução de contexto afetou os três tipos de perguntas?

Uma das atualizações mais importantes do Google foi a Google Hummingbird.

Ela colocou o “contexto semântico” em evidência e desde então tem sido um componente chave para o marketing de conteúdo e a publicidade de pesquisa.

image17

Você não precisa mais depender apenas do uso do teclado no seu conteúdo uma porção de vezes.

Tudo diz respeito sobre a linguagem natural e o sentido intencional por trás da pergunta do pesquisador em vez da pergunta em si.

image11

Com assistentes pessoais inteligentes (API), o contexto se torna ainda mais importante. Eles querem ajudar o usuário com respostas diretas em vez de oferecer uma lista de sites.

Deixe-me mostrar resultados de APIs para demonstrar os resultados para diferentes tipos de perguntas pesquisadas.

Perguntas informacionais como “qual idade do Barack Obama” garantem uma resposta direta. O Google usa o seu diagrama de conhecimento.

image19

E o Hound apresenta as suas informações baseadas em contexto a partir de sua API em tempo real.

image04

De maneira similar às perguntas transacionais, você pode executar vários passos com a própria Siri antes de ativar o app. Estima-se que integrações desse tipo sejam disponibilizadas pelo Google para apps na loja do Android também.

image27

Aqui está o desdobramento final dos três tipos de perguntas de pesquisa – transacionais, informacionais e navegacionais.

image26

3 recursos importantes da pesquisa por voz 

A pesquisa por voz vai agitar as suas estratégias de marketing. Veja o seu crescimento explosivo:

image30

É mais importante do que nunca adaptar uma linguagem “conversacional” ao seu conteúdo. Então, vamos dar uma olhada em dados atuais que mostram caraterísticas típicas de uma pesquisa por voz.

1. Pesquisas por voz de sucesso no Cortana têm a duração de 3 palavras. Mas…

A Cortana, assistente pessoal criada pela Microsoft (parte do Windows 10) apontou 33% de perguntas originadas por pesquisas por voz (em Novembro). E os dados foram obtidos com 3 meses de lançamento.

image16

Embora as perguntas de texto fossem mais curtas – em torno de 2 palavras…

image18

Perguntas de voz bem sucedidas, com as maiores impressões e cliques continham 3 palavras (com uma cauda mais longa).

image10

Isso pode soar surpreendente, já que o discurso falado geralmente é maior. Mas lembre-se de que nós apenas começamos a adotar a pesquisa por voz e nossos hábitos vão evoluir.

Andy Taylor não verificou mudanças drásticas no comportamento de pesquisa (baseado em seus dados) ativando resultados orgânicos/pagos para marcas de varejo.

Não existem tendências estáveis que indiquem um aumento na contagem de palavras de perguntas (baseado nos relatórios pagos e orgânicos no AdWords).

image24

Tampouco a contagem de caracteres aumentou.

image05

Você pode esperar que no futuro a pesquisa por voz pareça pessoal, descritiva e específica. Aqui está uma previsão de como será no futuro (cortesia da filha do Tom Anthony).

image28

2. Frases interrogativas dominam a pesquisa por voz 

Seres humanos são criaturas curiosas. Nós gostamos de perguntar e ler sobre novas informações. E dados tirados do gigante de pesquisa mostram um aumento anual de 61% em frases interrogativas. Essas frases incluem palavras conversacionais como “quem,” “o que,” “onde,” “quando,” e “como.”

Tais frases possuem uma probabilidade maior de aparecerem mais naturalmente na fala do que na digitação.

image07

Por exemplo, você não diz apenas “Bill Gates” para ver o diagrama de conhecimento do Google.

Em vez disso, você vai fazer uma pergunta completa como “Quem é Bill Gates?” para o seu assistente pessoal.

image03

Mas entenda que isso é puramente uma correlação. Nós não temos dados apurados separadamente sobre pesquisa por voz que sugerem um padrão claro.

Como você verá depois nesse artigo, perguntas conversacionais nos dão uma chance muito maior de prever a intenção do pesquisador. E consequentemente de personalizar o nosso conteúdo, criativos e anúncios de maneira apropriada.

3. Negócios locais precisam se preparar para uma reformulação 

Cerca de 3 a 4 anos atrás, o Google não mostrava resultados interessantes e úteis para perguntas locais.

Aqui está o que eu veria ao pesquisar “onde eu estou?” e então “mostre coisas para fazer nesse lugar.

image06

Agora o Google mostra um mapa com a atual localização do usuário quando você pergunta “onde eu estou?” e na questão posterior sobre “..coisas para fazer nesse lugar”, você terá uma lista de atrações populares por perto (o Google se lembra dos seus dados históricos para manter a relevância contextual).

image23

O que isso significa para negócios locais?

Bem, celulares se tornaram um recurso importante para consumidores obterem informações sobre negócios locais.

O forte propósito local também foi visível na pesquisa de destaques em Agosto de 2013 da Meditative. Eles verificaram que 89% das pessoas pesquisam por um negócio local em seus smartphones uma vez por semana (ou mais), com 58% pesquisando pelo menos uma vez por dia.

Não restam dúvidas de que a  pesquisa por voz é três vezes mais provável de ser baseada localmente do que a pesquisa de texto. 

Isso traz uma enorme oportunidade para negócios com presença local. Teste palavras-chave que incluam marcos locais e lugares da vizinhança como sufixos. Consumidores possuem uma preferência por informações locais em anúncios e 18% das pesquisas mobile locais levam a uma venda em até um dia.

Espero que você tenha um entendimento mais claro de como são as perguntas por voz …

Agora, vamos ver como você pode melhorar as suas chances de aparecer nos resultados de pesquisa por voz e gerar mais tráfego.

Estruture o seu conteúdo para responder com relevância às perguntas pesquisadas sobre um assunto

Por ora, você deve ter entendido que palavras-chave começaram a ter uma participação secundária até mesmo nos mecanismos de busca. O Google agora oferece respostas relevantes instantaneamente para o pesquisador por meio dos seus diagramas de conhecimento.

image08

Um jeito de entrar na cabeça do pesquisador e descobrir essas questões é utilizar ferramentas como a FAQFox.

Como eu já mostrei para você, uma vez que você insira uma palavra-chave e selecione uma categoria…

image12

A ferramenta apresenta perguntas feitas pela sua audiência segmentada em outros locais da internet.

image00

Você pode baixar essas perguntas em uma planilha. Então, verifique e delete rapidamente as questões irrelevantes. E, por fim, use as dúvidas exatas nos seus artigos relevantes.

Da mesma forma, você também pode passar por fóruns populares do seu nicho para encontrar perguntas comuns. Além disso, procure dentro das conversações da Disqus.

image09

Ao incluir questões dessa lista no seu conteúdo, você irá aumentar as suas chances de aparecer no diagrama de conhecimento.

Com assistentes pessoais, a importância das questões aumenta.

Além disso, a linguagem natural mostra uma intenção muito maior.

Quer saber como?

Bem, quando uma pessoa simplesmente diz “notebook macbook 15 polegadas”, você não tem certeza se a pessoa está buscando por uma certa especificação de um MacBook ou está em busca de comprar um.

Mas quando ela coloca uma questão conversacional para um assistente pessoal inteligente, então você tem um entendimento muito maior sobre a intenção. Aqui estão duas questões para mostrar a diferença:

  • Que tarefas um notebook MacBook 15 polegadas pode fazer?
  • Onde eu posso comprar um MacBook 15 polegadas?

image15

Se você descobrir questões transacionais de “onde”, então é fácil apostar nelas para o AdWords.   O usuário já está muito abaixo no funil e possui uma mentalidade de compra.

Além disso, configure o texto da sua landing page e o seu anúncio baseados na pergunta da pesquisa.

Finalmente, inclua preenchedores de palavras para fazer a pergunta soar natural. Isso vai aumentar as chances de aparecer para uma pesquisa por voz.

image29

Faça uso da marcação de dados estruturados (schema markup), Sitemaps XML e microdados 

Se você é meu leitor regular, então deve estar ciente dessa oportunidade subutilizada que eu enfatizei para profissionais de marketing de pesquisa. .

Schema é um vocabulário de dados estruturados que auxilia os mecanismos de busca a entender o conteúdo do seu site. Não é novo e não é um fator de ranqueamento oficial. Mas pode impactar positivamente o seu CTR.

Além disso, a Raven verificou que 80% dos sites analisados precisavam de dados do Schema.org.

image02

Se você estiver no WordPress, então aproveite o plugin criador do Schema para fortalecer os mecanismos de busca com dados valiosos e ganhar a confiança deles.

Fora isso, você precisa providenciar microdados adicionais a respeito do seu site (especificação HTML), da sua localização e do conteúdo do site.

Isso ajuda os mecanismos de busca a criar uma experiência mais rica para o pesquisador e apresentar resultados de maneiras criativas…

Isso também colabora para que os pesquisadores de voz consigam respostas rápidas para as questões nas SERPs (páginas de resultado de ferramentas de busca).

image21

Você precisa atualizar o horário do seu negócio, os preços dos seus produtos, o endereço da sua loja (40% das perguntas por voz são por informações de direção), informações de contato e similares no Google e também em diretórios locais como o Yelp.

Comece com os artigos a seguir para otimizar o seu site e a sua presença online.

  1.  Como Atrair Mais Clientes Locais: Um Guia Completo de SEO local
  2. O Guia Definitivo das Mídias Sociais para Negócios Locais

Tome cuidado com erros de pronúncia no nome da sua marca.

Um grande motivo que impedia a adoção inicial de assistentes pessoais era a falta de exatidão no reconhecimento de palavras. O Google aumentou a sua capacidade de menos de 80% para mais de 90%.

image20

Em algumas situações, pode ser um desafio obter a pronúncia foneticamente correta para o nome da sua marca.

Por exemplo, uma pesquisa por voz no Cortana sobre “Bobbi brown” não é soletrada corretamente.

image22

Mas os anúncios de compra e os resultados orgânicos mostraram os números corretos.

image14

Porém,  muitos comandos não estão captados de maneira apurada. Se o nome da sua marca for um acrônimo ou uma derivação de alguma palavra do dicionário, então o Google pode falhar em falar e reconhecê-la corretamente. O Google falhou em pronunciar ESPN corretamente há alguns anos.

Para marcas que não são soletradas em inglês, a pesquisa por voz pode ser um desafio.

Aqui estão os resultados para “me mostre malas Yves Saint Laurent” com a Siri:

image31

E aqui os resultados da pesquisa por voz com a Cortana:

image13

Como você pode ver, a Siri não foi muito bem.

Hoje não existe um jeito oficial de consertar isso. O Google não construiu nenhum app ou site para que as marcas possam fornecer a pronunciação foneticamente correta.

Enquanto os algoritmos de aprendizagem desses assistentes pessoais não trouxerem uma solução, você pode pesquisar por erros de pronúncia mais comuns no nome da sua marca. E testar o leilão para essas palavras-chave.

Conclusão

A pesquisa por voz e os assistentes pessoais apresentam novos desafios e oportunidades para os profissionais de marketing. Em 2020, estima-se que as pesquisas com voz e imagem apresentem uma contribuição em pelo menos metade das buscas.

Mas existem alguns tipos de dúvidas que jamais serão ditas em voz alta (eu não acho que você precisa pensar muito para saber quais são). Então faz sentido comparar a pesquisa por voz com as pesquisas digitadas, por causa dos assuntos limitados em que as pesquisas de voz são de fato usadas.

Lembre-se que usuários só estão se aquecendo para esse novo estilo de pesquisa. Então, informações e estudos em SEO de pesquisa por voz são muitos limitados.

No entanto, em última análise, o objetivo é “fazer com que o usuário faça coisas no mundo real”.

Haverá uma divisão do Google para lidar com a otimização da pesquisa por voz, que ganhe cada vez mais notoriedade? Conte-me nos comentários abaixo.

Share