6 Tendências de Otimização de Sites Que Irão Afetar Seu Tráfego

traffic

Somente nos Estados Unidos são feitas em média 12 bilhões de buscas por mês. Algumas dessas buscas são feitas pelos seus clientes potenciais.

Se você é um profissional de marketing B2B ou B2C, a boa notícia é que, 70% dos links que os usuários clicam, são nos resultados orgânicos.

Para sustentar suas classificações de busca com confiança, você precisa responder às mudanças na busca focando nas tendências do seu nicho de mercado. Afinal de contas, sempre que o Google lança uma atualização no algoritmo, as buscas mudam.

Você pode não ver essas mudanças, mas elas estão lá. É por isso que você sempre tem que se manter atualizado e alinhar seu conteúdo com as necessidades do usuário, de acordo com o algoritmo atual.

Se isso for feito continuamente, você não somente irá gerar tráfego orgânico, mas sua marca pessoal irá também assumir uma nova forma – e atrair clientes não será mais um aborrecimento.

Trabalhar com blog gera a maior parte do tráfego para as empresas. De fato, o blog é o fator número 1 de aumento no tráfego, enquanto o SEO é o segundo.

image05

Você pode ver flutuações nas classificações de busca – isso é normal – mas, se você tem construído seu site corretamente e publicado conteúdo de alta qualidade, não há com o que se preocupar.

Você conhece as últimas tendências de otimização de sites? Conheça estas 6 tendências de otimização de sites que irão sustentar sua classificação de busca e tráfego orgânico.

Use essas tendências de otimização de sites para direcionar um fluxo constante de tráfego orgânico para suas páginas.

Tendência de otimização de sites nº 1: Diminuir o foco em palavras-chave e classificações de busca

A experiência do usuário de busca é significativamente afetada pelos dispositivos que as pessoas usam: tablets, PCs, smartphones, etc.

As pessoas agora consomem informação nas plataformas que não existiam quando o Google lançou seu mecanismo de busca.

Por exemplo. Considere a divisão dos minutos digitais baseados em dispositivos e demografia. Você pode ver que 54% da Geração do Milênio (18 – 24 anos de idade) usam os mecanismos de busca em seus smartphones, enquanto as pessoas na faixa dos 50 ainda preferem a busca em PCs.

image10

O consumo de informação em todos os canais, aparelhos e aplicativos significa que o Google tem que nivelar o campo do jogo.

Desde 2013, tem havido uma mudança significativa na maneira que o Google classifica as páginas da web. Me permita compartilhar um estudo de caso com você que irá explicar o que estou dizendo:

De volta a 2012, eu encontrei com um amigo em uma conferência de mídia social. Lá, ele me disse que ele estava conseguindo boa classificação no Google para todas as palavras-chave que ele escolhia.

Ele me mostrou algumas páginas que tinham boa classificação nos mecanismos de busca. Alguns desses conteúdos eram uma porcaria (desculpe, pessoal), e ele ainda fazia um bom dinheiro vendendo serviços de SEO e ganhando comissões de afiliados.

Chegando em 2014 – a coisa mudou de figura. Ele ainda é um amigo, mas se recusou a mudar com o passar do tempo. Sua boa performance nas palavras-chave despencou, sua renda seguiu o mesmo caminho e a maioria dos clientes dele o deixou.

Meu amigo falhou ao reconhecer o óbvio: o foco apenas nas palavras-chave e links não é suficiente para melhorar as classificações de busca. Todas as melhores práticas de SEO como conhecemos não valem mais a pena – se você não está indo ao encontro das necessidades do usuário.

Para ficar claro, o Google ainda conta com palavras-chave para entender o público específico que está pesquisando, mas nem tanto para avaliar a utilidade ou relevância do seu conteúdo.

Deixe-me te mostrar alguns exemplos:

Vá em frente e busque pela palavra-chave “melhor produto de limpeza para joias de ouro.”

Vai ser difícil encontrar alguma página de produto nos 10 melhores resultados. Em vez disso, você vai encontrar páginas com artigos bem detalhados e de alta qualidade.

image13

Você poderia imaginar que o Google iria ranquear uma loja vendendo soluções para limpeza de joias de ouro. Mas não é esse o caso aqui.

Mas por que isso?

Parte porque, ao longo dos anos, o Google tem empregado desenvolvedores qualificados, programadores e psicólogos para ajudá-lo a entender e testar o que realmente as pessoas querem.

No exemplo acima, o Google descobriu através das percepções do usuário e dados de comportamento coletados ao longo do tempo, que as pessoas procurando por um “produto de limpeza para joias de ouro” não estão na verdade atrás de um produto, mas sim de informação útil.

Elas estão procurando por um artigo ou vídeo que irá mostrar a elas como limpar uma joia.

Vamos dar uma olhada em alguns exemplos:

Quando você pesquisa pela frase “comprar quadro branco”, você obtém estes resultados.

image16

Você percebeu que nenhum dos resultados orgânicos são sites de afiliados ou blogs? Em vez disso, são todos sites de lojas com grande autoridade – Best Buy, Staples, etc.

Então, por que o Google classificou melhor essas páginas do que as páginas dos profissionais de marketing individuais?

Ao longo do tempo, o Google coletou muitas informações dos usuários que diz a ele que essas pessoas querem um site e-commerce de confiança. Eles prefeririam comprar um quadro branco da bestbuy.com do que da compre-quadro-branco.net.

Consequentemente, tentar ranquear por palavras-chave primárias com intenção de compra é como tentar correr da sua própria sombra. No melhor dos mundos, será muito difícil – mais provavelmente impossível.

Essas tendências de otimização de sites não estão chegando ao fim. Não significa que o Google quer que elas desapareçam. Essas mudanças vieram para ficar. Suas escolhas são manter o que está fazendo ou aprender como se adaptar.

É o mesmo para toda palavra-chave no mundo virtual – ou sites de páginas de conteúdo ou sites de lojas estão no topo dos resultados.

Por exemplo, uma pesquisa de melhores bicicletas híbridas” produzem resultados semelhantes. Alguns anos atrás, essa palavra-chave teria produzido resultados incluindo uma tabela de comparação de algum tipo. Mas hoje, o melhor resultado é um artigo muito bem escrito;

image07

Ainda é possível conseguir uma boa classificação para palavras-chave exatas? Por exemplo, quando você coloca sua palavra-chave principal no título do conteúdo, isso funciona? Sim, mas há um problema.

O fato de você ter colocado a palavra-chave no título não é fator determinante que costumava ser. A experiência do usuário em geral que sua página cria é o que conta.

Deixe-me te mostrar um exemplo com uma palavra-chave que é utilizada o tempo todo: escrever títulos para conteúdo.

Você pode achar que o Google irá ranquear melhor as páginas de conteúdo com essa palavra-chave exata na tag do título do que outras páginas, mas os 10 melhores resultados contam algo diferente:

image24

Você percebe por que direcionar uma palavra-chave em particular e esperar uma boa classificação para ela não é mais a melhor estratégia de SEO?

Vamos dar uma olhada com mais detalhes nos resultados acima. Perceba que o resultado nº 1 contém a palavra-chave “escrever um título irresistível.” Então por que ela aparece no topo? Onde estão aquelas páginas com as palavras-chave exatas?

Elas não estão aparecendo porque elas não fornecem informação útil que os usuários querem. As pessoas não ficaram satisfeitas com as páginas e então elas não decidiram compartilhá-las ou criar um link para elas.

Dito isso, existem maneiras comprovadas que você ainda pode usar para direcionar tráfego orgânico. Mantenha-se focado nestes objetivos:

a).   Construa uma visibilidade de marca: Pense no SEO como o processo de melhorar a visibilidade da marca em diferentes canais.

Uma maneira de fazer isso é republicar seu conteúdo nas redes de mídia social. Por exemplo, você pode usar o Facebook para melhorar seu SEO transmitindo PageRank para as suas páginas de conteúdo úteis.

image09

Você conseguirá resultados similares a alguém que esteja trabalhando com curadoria de conteúdo. De acordo com a Curata, mais de 50% dos profissionais de marketing que trabalham com curadoria, dizem que ela está crescendo a visibilidade de marca deles, liderança de pensamento, SEO, tráfego na web e engajamento do comprador.

Isso significa que você deveria ser ativo nas redes de mídias sociais tais como o Twitter, Facebook, Pinterest, Google+, LinkedIn e Periscope.

Quanto mais lugares mencionarem seu site, mais dados o Google irá coletar dele. Eventualmente, você verá uma melhora em seus rankings, tão logo você continue a publicar conteúdo novo.

Quando você está construindo visibilidade de marca, você conseguirá um tráfego melhor, independente de estar direcionando uma palavra-chave particular, ou não.

Algumas marcas dominam os 10 melhores resultados no Google, não porque elas são boas em SEO, mas porque tem uma forte atividade nas mídias sociais. Por exemplo, a Etsy.com está em 1º lugar para a palavra-chave “tags de presente feitos à mão.”

image30

Curiosamente, a página da Etsy não tem nenhum link:

image19

Por que nenhum site está linkando para a página da Etsy? Pode ser que a Etsy.com não esteja promovendo ativamente a página. Eles não têm SEOs agressivos construindo links para eles.

Então, como a Etsy está dominando as SERPs?

A Etsy foi capaz de estar em primeiro lugar para um volume alto de palavras-chave por causa da sua visibilidade de marca por meio das redes de mídia social.

image23

As pessoas que compravam tags de presente feitos à mão da Etsy.com a amaram e começaram a falar com seus amigos e colegas sobre ela no Facebook, Twitter, Pinterest e outras plataformas de mídia social.

Você provavelmente está começando a entender as tendências de otimização de sites, mas isso significa que os indicadores sociais melhoram as classificações de busca? Eu não posso dizer que sim, uma vez que o Google não fala muito sobre isso.

Mas eu posso dizer que os indicadores sociais impulsionam a visibilidade de marca e, quando o Google coletou muitos daqueles dados, ele irá ranquear melhor a página em questão.

Uma prova a mais de que o SEO não é mais sobre palavras-chave, mas sobre visibilidade da marca, o 2º e 3º resultados para a mesma palavra-chave (“tags de presente feitos à mão”) são imagens do Pinterest.

image36

b).  Crie uma experiência de conteúdo mais rica: Profissionais inteligentes de SEO estão criando conteúdo útil estes dias.

Eles perceberam que o marketing de conteúdo gera lucro. De acordo com a HubSpot, “54% mais leads são gerados pelo inbound e não pelo outbound.”

Conteúdo rico melhora a experiência do cliente. Quando os clientes estiverem felizes, eles irão comprar seu produto. Quanto mais experiências memoráveis você der para o cliente, mais propensos eles serão de comprar de você.

image11

Crie uma experiência rica de conteúdo para os usuários respondendo as suas perguntas.

Como as palavras-chave são difíceis de ranquear nestes dias, eu recomendo usar o Quora para encontrar perguntas relevantes que seu público-alvo está fazendo.

Por exemplo, se você está vendendo para empresas B2B, você poderia ir ao Quora e encontrar perguntas relacionadas:

image34

O Quora fornece o que eu chamo de “termos de busca de conversação.”

Você vai perceber que certas palavras-chave não são tão típicas. Por exemplo, na tela acima, uma das perguntas do Quora é:

Seus prospects estão usando mídia social para te encontrarem?

Se você pesquisar por palavras-chave usando o Planejador de Palavras-chave do Google Adwords, você provavelmente não vai encontrar nenhuma palavra-chave parecida com essa.

Isso é porque o Google não armazena esses termos de busca de conversação em sua base de dados. Os usuários podem não digitá-las no mecanismo de busca, mas essas perguntas são importantes de responder.

Em vez de tentar competir com grandes palavras-chave com grande autoridade de domínio, complemente o que eles estão fazendo por meio da criação de conteúdo bem detalhado e útil, direcionando termos de busca de conversação.

Se você criar o conteúdo certo para responder às perguntas, você vai descobrir que sua taxa de conversão vai aumentar.

Se as principais marcas como a Amazon, Etsy e Best Buy já estão dominando palavras-chave que dão dinheiro, como “comprar laptops HP,” e se você usar palavras-chave de cauda longa tais como “melhores lugares para comprar laptops HP” ou “onde comprar laptops HP online”?

O conteúdo é o caminho a seguir. Quanto mais conteúdo você produz e distribui para construir sua visibilidade de marca, mais termos de busca de cauda longa você irá começar a ranquear para eles, mesmo que você não esteja direcionando para eles diretamente.

Este estudo descobriu que 70% do tráfego de busca é de cauda longa.

image28

Então, por agora e no futuro, haverá menos foco nas palavras-chave e mais atenção às perguntas dos usuários, insights e intenções por trás de cada palavra-chave.

Tendência de otimização de sites nº 2: Aumentar a importância dos indicadores sociais

Eu já falei do impacto dos indicadores sociais nas classificações de busca e que eles melhoram a visibilidade da marca.

image33

Além do mais, os indicadores sociais podem aumentar a autoridade do domínio e a autoridade da página, mesmo que os links do Facebook e os Tweets sejam nofollow.

Quando você diversifica sua distribuição de conteúdo em diferentes redes sociais, especialmente aquelas com alta performance orgânica, você vai perceber que vai começar a ganhar mais links.

Um estudo recente sobre experiência do consumidor descobriu que, quando as pessoas compram em seu site e gostam da experiência, elas vão falar sobre sua compra.

No entanto, essa é uma faca de dois gumes. As novidades sobre um mau atendimento ao cliente alcançam o dobro de pessoas do que aquelas que falam do bom atendimento.

image20

O Google agora reporta “praticamente 100%” das ações manuais. Então, muitas vezes quando você descobre que muitas pessoas estão dando comentários negativos para uma marca nas plataformas de mídia social, o Google irá penalizá-la nos resultados de busca.

Com um review ou ação manual, um ser humano no Google irá opinar em um site específico que está ganhando alguns indicadores sociais e decidir penalizá-lo (usualmente ações manuais são de fato penalidades).

A revisão manual pode ser desencadeada por uma denúncia de spam de algum estranho ou simplesmente o monitoramento regular do Google.

Sites com comentários manuais foram totalmente implementados alguns anos atrás. Por exemplo, em 2011, a JC Penney foi penalizada com 90 dias para links pagos.

Wikipedia classifica altamente para cada palavra-chave conhecida no mundo. Eles estão direcionando essas palavras-chave apenas para conseguir um bom ranking?

Pelo contrário, o site publica ótimos conteúdos com consistência cobrindo cada aspecto de um determinado assunto. Por causa disso, seu conteúdo é um dos melhores por aí – as pessoas geram um link para ele e o recomendam nas redes de mídia social.

image26

É claro, o Wikipedia é um site enorme com muita autoridade do domínio. Mas essa influência social que eles têm em suas páginas é o que faz com que ele seja forte.

Indicadores sociais podem não produzir um resultado imediato no SEO, mas se você perseverar, eles irão produzir bons resultados ao longo prazo. Matt Cutts fala sobre isso muito bem:

image04

Ainda existe uma correlação entre links e mecanismos de busca. É importante equilibrar a equação entre os indicadores sociais, links e classificação – é aí onde está o poder.

image31

O resultado é que mesmo que os indicadores sociais melhorem o ranking, ou não, você deveria criar uma presença social que irá dar aos clientes em potencial a oportunidade de conhecer sua marca e promovê-la para você.

Volte aos objetivos das redes tais como Facebook, Pinterest, Google+ e Twitter. Esses sites existem para te ajudar a conectar, comunicar e dar às pessoas um gostinho daquilo que você está promovendo.

Em minha opinião, os indicadores sociais produzem resultados de longo prazo e impactam os mecanismos de busca de uma maneira significativa.

Tendência de otimização de sites nº 3: Aumentar o valor dos links conquistados

Quando eu comecei minha carreira de blogueiro, eu acreditava que “bastava construir para as coisas começarem a acontecer.

Isso nunca aconteceu. Brian Dean irá concordar comigo nisso: promover seu conteúdo para aumentar a consciência da marca e conquistar links é muito mais importante do que os blogueiros imaginam.

image15

Sim, links ainda são um fator determinante nas classificações orgânicas, mas a maneira pela qual os links vêm até você, importam muito.

Nestes dias, se você não tiver uma estratégia de marketing de conteúdo comprovada que irá te ajudar a “ganhar” links em vez de perseguir constantemente uma estratégia de link building, você continuará tendo dificuldades de gerar tráfego orgânico.

Links conquistados são aqueles vêm sem a sua participação ativa. Assim como a mídia conquistada, eles são o resultado do valor que você entrega. Seu conteúdo tem que ser ótimo antes que alguém queira criar um link para ele.

image27

Em outras palavras, quando você consegue um link a partir de um, ele não foi conquistado. Você fez isso acontecer. Mas quando alguém escreve um post e cria um link para você (especialmente quando o link tem um contexto), você conquistou aquele link.

O Google ainda tem muito para conseguir compreender se um link foi conquistado naturalmente ou construído, mas ele já está fazendo um bom trabalho separando os dois.

Então, meu conselho é: Não se preocupe como o Google irá determinar se um link é conquistado.

Apenas foque em criar um conteúdo incrível e coloque-o na mão de influenciadores que irão divulgá-lo. Você irá observar um aumento considerável no desempenho da busca.

Tendência de otimização de sites nº 4: Mais focos em link building quebrados

Muitas estratégias de link building podem parecer suspeitas e também fazer com que seu site seja suscetível à penalidade do Google. Mas com o link building quebrado, você não precisa se preocupar com isso.

image01

Veja como a Moz coloca na Bíblia do Link Building:

Link building quebrado pode talvez ser a estratégia white-hat mais eficaz nos últimos anos. Em particular, o link building quebrado é atrativo porque o sucesso da campanha é diretamente proporcional ao bem que você faz para a web.

Um link quebrado é simplesmente aquele link que não é mais funcional. Quando você clica no texto âncora, ele te leva a uma página 404 ou uma página inválida.

Fora as 5 maiores estratégias de inbound para construir links, o link building quebrado é a maneira mais eficaz de melhorar seu desempenho na busca sem levantar uma bandeira vermelha.

image37

Links inbound ainda são um fator poderoso de busca que o Google usa para ranquear páginas na web. Mas, como você já sabe, a era da “quantidade” dos links está terminando. O que você precisa são links de qualidade.

Olhe para os links em termos da habilidade que eles têm em fornecer valor em SEO a longo prazo.

Certifique-se que a fonte dos seus links seja confiável e já esteja com boa performance nos mecanismos de busca.

Os passos práticos por trás do link building quebrado são simples:

Passo nº 1: Descubra páginas relacionadas ao seu segmento: Vá ao Google e pesquisa por uma página que seja relevante com esses termos:

links + palavra-chave

resources + sua palavra-chave

intitle:links

intitle:resources

intitle:sites

intitle:websites

inurl:links

inurl:fontes

inurl:sites

inurl:websites

“links úteis”

“fontes úteis”

“sites úteis”

“websites úteis”

“links recomendados”

“fontes recomendadas”

“sites recomendados”

“websites recomendados”

“links sugeridos”

“fontes sugeridas”

“sites sugeridos”

“websites sugeridos”

“mais links”

Vamos supor que você queira descobrir alguma página relacionada a “blog.” Aqui está a busca combinada e o resultado:

image21

Passo nº 2: Confira os links nessas páginas para identificar links quebrados: depois nós temos que checar se existem links quebrados em qualquer uma dessas fontes que o Google já está classificando no top 10.

Então vamos ver se alguns dos links de saída no http://mashable.com/2007/06/19/blogging-toolbox estão inativos.

Primeiro, visite a ferramenta dead link checker. Coloque a URL dentro da caixa de pesquisa. Clique em “single webpage” para que somente aquela URL seja analisada. Então clique no botão “check”.

image22

Aqui estão os links quebrados:

image25

17 links mortos em uma única página. Isso é ruim para a Mashable.com ou qualquer site. Você estará fazendo um favor ao dono do site sugerindo uma substituição para aqueles links.

Passo nº 3: Entre em contato com o dono do site ou o editor, dizendo a eles sobre os links quebrados e sugerindo uma alternativa – seu próprio conteúdo.

Se o destinatário tiver conhecimento básico de SEO, ele irá entender as implicações e te responder.

Você pode adaptar seu email depois de ver este modelo de email. Faça com que ele seja relevante para o site que você está direcionando e envie.

image35

Quando tiver uma resposta positiva, então você pode mandar seu recurso relevante e irresistível (post do blog, artigo, guest post, link com vídeo para o YouTube, link com donwload de PDF) que pode ser usado para substituir o link morto.

Você pode tirar vantagem de centenas, se não milhares de links que estão quebrados em sites do seu segmento.

image00

A Pipeline Intelligence, uma fonte de notícias sobre gasoduto, alavancou a estratégia de link building para classificar para sua palavra-chave primária “relatório de inteligência de gasoduto.”

image12

Para aprender mais sobre link building quebrado, veja os guias abaixo:

Tendência de otimização de sites nº 5: Menções à marca irão impactar a performance de busca

Alguns chamam as menções de marca e co-citações de “construir links sem links.” Não é um termo novo em SEO nem alguma coisa que o Google pediu ao mundo do SEO para fazer.

No entanto, é uma forte tendência de SEO por causa do seu impacto na percepção geral de um link com relação à atualização do Pinguim e a atualização do anti-spam.

image08

Quando o Google começou a desvalorizar links de baixa qualidade e começou a prestar atenção na força e poder da página de onde os links vêm, a co-citação se tornou bastante popular.

O que é essa co-citação?

co-citação é a nova maneira de ampliar o poder dos seus links sem direcionar um link.

image06

KISSmetrics define a co-citação como a situação em que uma marca ou site é mencionado mas não são linkados por duas fontes diferentes.

Por exemplo, o Site B menciona o Site C e vice versa, sem nenhum hyperlink – apenas uma menção.

image02

Se isso soa de forma complicada, apenas tenha em mente que o que o Google está atrás é de como a estratégia dos seus conteúdos direcionados te ajudam a construir uma boa influência, de maneira que aquela pessoa mencione sua marca – não por causa de nenhum link entre você e o outro site, mas porque você merece.

Esse conceito é simples: “bons sites criam links para outros bons sites.”

Por exemplo, eu crio muitos links para os posts do blog da Moz, não porque eu quero ajudá-los a melhorar suas classificações (não é esse meu trabalho), mas fornecer aos meus leitores um conteúdo útil relacionado ao assunto que eu esteja escrevendo sobre ele.

Não existe nenhuma estratégia específica para ter seu site ou marca mencionados ou co-citados. Isso se resume a criar conteúdo de alto valor regularmente.

Por exemplo, quando você pensa em SEO, quais blogs vêm em mente? Provavelmente os mesmos que eu penso: Moz, Search Engine Journal, Search Engine Land, QuickSprout.

Quando você pensa em blog, quais vêm na sua mente? Problogger, BlogTyrant, Bloggingwizard, etc.

E para marketing de conteúdo? Eu recomendaria o Content Marketing Institute, MarketingProfs, Content Marketing Up, Copyblogger, Convince and Convert, etc.

Você entendeu.

Se você quiser ter sua marca mencionada em outros blogs, comece criando um conteúdo épico. Com isso você poderá chamar a atenção e levar seu conteúdo até os influenciadores, que irão ampliar seu alcance.

image14

Tendência de otimização de sites nº 6: Buscas otimizadas através de plataformas, dispositivos e canais

Você está preparado para a corrida de ouro do mobile?

Seu público-alvo não está mais em um único lugar ou aparelho. O mobile tomou conta.

image17

Vamos tentar um pequeno quiz de múltipla escolha: considerando a quantidade de aparelhos e plataformas que seu público-alvo navega, qual dispositivo você deveria otimizar?

  1.  PC
  2.  Tablets
  3.  Smartphones
  4.  Relógios com telefone

Pergunta boba. Não existe uma resposta única. A resposta certa é a nº “5. Todas as alterativas acima.”

O Google quer satisfazer os usuários, não importa qual aparelho você esteja usando. A atualização amigável que se tornou efetiva em 21 de abril de 2015, reforçou a importância de dar aos usuários mobile o mesmo tratamento que os do PC.

Você vai perceber que neste post eu falei muito sobre a importância das tendências de SEO com relação à enfatizar o que os usuários querem, em vez das palavras-chave que eles usam.

É a mesma coisa aqui. Uma das previsões na Q3 de 2014, foi que o volume de busca em aparelho móvel irá exceder o desktop em 27,8 bilhões de consultas.

image18

O Google disse que mais buscas acontecem em dispositivos móveis do que no desktop em 10 países, incluindo duas nações populosas (EUA e Japão).

Além do mais, um estudo sobre busca mobile recentemente da Yahoo! Hong Kong, revelou que o número total de pesquisas em aparelhos móveis tem tido um aumento de 43% ano após ano.  

O estudo também mostra como os cidadãos de Hong Kong conduzem as pesquisas nestas duas plataformas populares:

image29

Quando você pensa em otimizar seu conteúdo para usuários mobile, 3 coisas devem vir à mente:

i).  Busca: Identifique as consultas da busca, ads e palavras-chave que estão trazendo os usuários ao seu site a partir de diferentes dispositivos.

Compare as consultas de busca umas com as outras para entender como criar o mix de conteúdo correto.

ii).  Conteúdo: Qual conteúdo leva a maioria dos usuários para seu site e landing pages? Em cada estágio do ciclo de compra do consumidor, qual formato de conteúdo está ganhando mais tração?

image32

Você vê alguma diferença no conteúdo que os usuários mobile querem vs. o que os usuários do desktop querem?

iii).  Workflow: Como está o desempenho do seu conteúdo? O layout e os menus ajudam os usuários a navegarem em suas páginas da web facilmente?

Você pode descobrir quando você usa uma ferramenta de monitoramento de visitas tal como o Crazyegg.com. Qual caminho os usuários aparelhos móveis percorrem, comparados ao caminho dos usuários de tablet e PC?

Confira os dados do usuário no Google Analytics. Identifique as páginas de destino (páginas que os usuários entram em seu site) e as páginas de saída (páginas que eles saem).

Todas essas atividades irão revelar muito sobre o comportamento do usuário e como estruturar seu conteúdo para aparecer aos seus usuários, independente da plataforma, canal ou aparelho que eles estejam usando para acessar seu site.

Conclusão

Dado o tempo real em que a natureza das buscas ocorre e como o Google pode decidir classificar uma página na web amanhã, você precisa estar preparado de antemão, expandindo a presença da sua marca na mídia social.

Isso te ajuda a construir uma influência forte e a melhorar sua menção de marca e co-citação, que são indicadores sociais que irão impactar suas classificações de busca de longo prazo.

Pessoalmente, eu gosto de saber o tanto que puder sobre as últimas atualizações do Google e as tendências nas classificações de busca orgânica, mas eu nunca deixo as mudanças controlarem como eu enxergo o SEO como um todo.

As melhores práticas de SEO que sobrevivem ao longo do tempo continuam a produzir os melhores resultados quando comparadas com a experiência de atenção do usuário.

Por exemplo, eu considero as palavras-chave uma ferramenta que me permite entender meus clientes. Ela te dá uma ideia sobre a psicologia do usuário e como persuadir seus usuários a confiarem e comprarem mais de você.

Identificando essas palavras-chave, eu consigo saber em primeira mão o padrão de pensamento do meu cliente ideal.

Então eu foco em criar conteúdo útil e interessante que se adeque aos seus pensamentos e desejos, sem exagerar nas palavras-chave.

Se você decidir criar com consistência o melhor conteúdo que você puder – conteúdo que seja melhor do que os que estão por aí afora, – e promovê-lo por meio das plataformas de mídia social, você finalmente irá melhorar suas classificações de busca, direcionar tráfego orgânico e, o mais importante, sustentar seus rankings.

Quais outras tendências de otimização de sites você acha que têm um forte impacto nas classificações de busca e na geração de tráfego orgânico?

Share