O Guia do Iniciante ao Knowledge Graph do Google

knowledge

O Google está construindo a maior biblioteca de conhecimento na história humana – e está fazendo isso com a sua ajuda.

Sites confiáveis, como a Wikipedia, CIA World Factbook e Freebase são todos fontes usados pelo Google para reunir dados sobre pessoas, eventos, animais, histórias e temas.

As atualizações do algoritmo do Google – incluindo Panda, Penguin, Pigeon e Hummingbird – não foram projetadas para destruir os rankings do seu site, mas para ajudar a alcançar o objetivo do Google: construir uma base de dados de conhecimento, que as pessoas possam acessar facilmente, através da ferramenta de busca, onde quer que estejam.

A maioria das pessoas sabe que o Google é uma empresa de publicidade, especializada em AdWords PPC. Mas o Google é muito mais do que isso.

A ferramenta de busca é projetada principalmente para reunir dados sobre tudo na face da terra, sincronizar os dados com o seu algoritmo de busca, e tornar a informação acessível de forma rápida e fácil, não importando qual plataforma o pesquisador utilize.

Baixe esse checklist para otimizar o seu conteúdo para o Knowledge Graph do Google.

Esta é a razão porque o Google é tão apaixonado por usuários móveis e as pesquisas deles. Mas isso não é uma nova preocupação para o gigante das buscas – é o mesmo objetivo do Google desde o início.

Ajude o Google a Construir um Banco de Dados de Conhecimento

Como um profissional de marketing de conteúdo e blogueiro, você tem a responsabilidade de tornar a internet tão útil quanto possível. Como? Descobrindo exatamente qual é o seu nicho, quem é o seu público-alvo e como conectar as buscas desse público com as informações corretas.

Contanto que você possa fazer isso de forma consistente, o Google irá lhe enviar mais tráfego. Quando o seu site recebe mais usuários de busca, o Google será capaz de extrair mais dados poderosos e precisos sobre os usuários.

Confie em mim: o Google realmente precisa que sua página seja bem classificada, talvez até mais do que você precise melhorar o seu desempenho de busca.

Isso é o que ajuda o Google a continuar sendo a ferramenta de busca mais formidável do mundo.

Introdução ao Knowledge Graph do Google

O objetivo do Google é fornecer aos usuários os resultados de busca certos, dentro do menor tempo possível. Isso é parte da declaração de missão do Google:

image14

Cada atualização de algoritmo do Google é construída para ajudar o Google a realizar a sua declaração de missão.

Então, o que é exatamente o Knowledge Graph (Diagrama de Conhecimento)? É a forma sistemática do Google de colocar fatos, pessoas e lugares em conjunto para criar resultados de busca interconectados que são mais precisos e relevantes.

Mais especificamente, o “knowledge graph” é um banco de dados, que coleta os milhões de pedaços de dados sobre as palavras-chave que as pessoas buscam frequentemente, e também, a intenção por trás dessas palavras-chave, com base no conteúdo já disponível. Com o knowledge graph, os usuários podem obter informações sobre as pessoas, fatos e lugares que estão interligados de uma forma ou de outra.

Para tornar a sua aprendizagem mais fácil, basta ir ao Google e procurar por “o que é o knowledge graph?” A resposta é exibida logo ali – e isso também é o que o knowledge graph faz.

image26

Outro exemplo: Vá ao Google e procure por “atores famosos”. O carrossel de imagens que aparece na parte superior é um bom exemplo de um resultado do knowledge graph.

image15

Está começando a fazer mais sentido, não é mesmo?

Além de ampliar a sua própria base de conhecimento pessoal, você também pode tirar proveito do knowledge graph para conseguir mais tráfego de busca para seu site.

Tudo que você precisa é uma faísca de uma ideia sobre como criar o melhor conteúdo e interagir com seu público-alvo, através do painel do knowledge graph. Um monte de pessoas estão fazendo isso, inclusive aqueles artistas e empresários famosos. E você também pode.

Relação Entre os Resultados de Busca e o Knowledge Graph

De acordo com a HubSpot, 80% do tráfego começa com uma busca. Para o Google, a informação que os usuários estão procurando é uma forma de dados. Através de uma série de testes, o Google pôde melhorar o algoritmo e alinhar mais estreitamente as buscas com a intenção dos usuários.

O Google é uma ferramenta de busca dinâmica, e seu algoritmo se baseia fortemente nas palavras que o usuário digita. Se você fizer uma busca hoje, você vai perceber que o Google aplica negrito às palavras-chave na meta description.

image05

As palavras-chave na imagem acima estão em negrito, mesmo quando alguns dos termos de busca estão faltando. O Google olha principalmente para a relevância da página que o usuário está procurando.

O knowledge graph é o próprio banco de dados do Google, onde todos os dados que foram coletados a partir de milhares e milhares de buscas são avaliados pela sua relevância. Quando o Google começa a entender exatamente sobre o que você está escrevendo no seu site, eles vão começar a te enviar mais tráfego e melhorar seus rankings.

O knowledge graph foi lançado em 16 de maio de 2012. Quase três anos depois, o Google ainda está focado em seus usuários e sua responsabilidade com esses usuários. O Google não pode fazer tudo sozinho – a empresa precisa de você para ajudar a tornar os resultados de busca valiosos e úteis para os usuários.

image53

Acima disso, o Google está constantemente adquirindo empresas orientadas a dados. Por exemplo, em 2014, o Google adquiriu a empresa de inteligência artificial, DeepMind, por US$ 400 milhões. Isso tornou o Google ainda melhor em identificar de onde os usuários vêm, e como eles realizam suas buscas com base em suas intenções.

A otimização para o knowledge graph é simplesmente o processo de ajudar o Google a entender sobre o que é a sua página. Este é o futuro da busca, um fato que ficou evidente após o lançamento da atualização Hummingbird.

image12

Vamos dizer que você está escrevendo sobre “bugs.” Seu sucesso depende em grande parte de quão bem você pode guiar os rastreadores de busca do Google para interpretar essa palavra corretamente. Você está se referindo a “erros em um programa de computador”? Ou você quer dizer “infecções virais ou bacterianas que causam doença”? Ou “dar a alguém um problema persistente”?

A palavra “bug” poderia significar tudo isso acima. Com a otimização do knowledge graph, o Google pode dizer exatamente qual o significado que você está usando com base na sua meta description, título, palavras-chave e conteúdo, e pode, então, sincronizar o conteúdo com a intenção do usuário apropriado.

De acordo com a HubSpot, 76% de todos os seus esforços de marketing de conteúdo devem ser focados em ajudar os usuários a encontrar o que querem rapidamente e facilmente. Preste mais atenção à experiência do usuário. Isso inclui a utilização de cores, layout, botões, posicionamento, calls to action, a essência do seu conteúdo – e busca, incluindo a otimização do knowledge graph.

image41

Por exemplo, vamos dizer que você está escrevendo sobre insetos (em inglês, bugs) de cama, ou infestação de insetos na cama. Existem palavras semelhantes na base de indexação semântica latente (LSI) que irão ajudar. Por exemplo, você poderia mencionar a espécie ou classe dos insetos que causam a doença, e do ciclo de vida dos insetos.

LSI substitui as palavras pelos seus sinônimos para dar ao Google uma compreensão mais verdadeira do que você quer dizer. Então, o Google sabe que “comprar” e “adquirir” significam a mesma coisa, mas “comprar um produto” e “comprar uma ideia” não significam a mesma coisa.

image51

Afinal, você não vai mencionar o ciclo de vida dos insetos quando você está se referindo a um “bug” em um programa de computador.

A verdade é que o Google entrou na inteligência artificial com o knowledge graph. Como resultado, sua eficácia na pesquisa e no algoritmo de busca é agora anos-luz do que costumava ser.

Lembre-se que os sistemas mudam e evoluem, assim como as tecnologias. Mas estudos psicológicos nos dizem que, pelo menos no nível macro, o comportamento humano não muda. As necessidades básicas dos seres humanos são as mesmas, e continuarão sendo as mesmas, independentemente das novas tecnologias desenvolvidas amanhã.

Como as pessoas não mudam, sua responsabilidade como um redator de conteúdo e blogueiro é focar nas pessoas, e não no sistema. A questão a se perguntar é: “estou dando às pessoas exatamente o que elas querem?” Quando as pessoas procuram por “gatinhos fofos”, sua página no resultado de busca fornece realmente o que eles estão procurando?

image18

Se o seu conteúdo não está gerando o tráfego de busca orgânica e rankings para você, mude-o. Pode ser que você não esteja atendendo às necessidades do usuário.

1). Otimização de conteúdo para humanos: Otimização de conteúdo para os seres humanos – não motores de busca – deve ser sua prioridade número 1. A razão pela qual eu tenho sido bem-sucedido no marketing de conteúdo e acabei de gerar mais de 700.000 visitantes por mês para o QuickSprout.com, após 8 anos, é porque eu estou focado na entrega de valor aos meus leitores.

Eu quero ajudá-los a aumentar as suas vendas e se tornarem melhores profissionais de marketing. Eu não deixo que os medos sobre esse público ainda precisar de mim, após eu ter distribuído muito conteúdo valioso e grátis, mudem meu foco.

A própria vida tem uma maneira de recompensá-lo quando você coloca os outros em primeiro lugar. Portanto, procure maneiras de criar conteúdo que ajuda as pessoas.

Faça esse conteúdo simples para agir de acordo. Se é um tema técnico, use imagens de tela e estabeleça um processo passo a passo para ajudar os usuários a ir do ponto A ao ponto B. Isso é o que os usuários estão procurando. E ao fazer isso de forma consistente, o Google vai começar a observá-lo.

O conselho padrão para focar em conteúdo de qualidade não vai longe o suficiente. Afinal de contas, “qualidade” é um termo muito relativo. O que eu valorizo pode não valer nada para outra pessoa.

Em vez disso, eu recomendo escrever conteúdos que ajudem as pessoas a colocar em prática para si próprios, o que irá produzir resultados.

Palavras-chave são importantes quando você otimiza seu conteúdo para os seres humanos, porque essas mesmas pessoas são as que forneceram as palavras-chave para o motor de busca.

No mínimo, as palavras-chave devem aparecer naturalmente nestas seções:

  • Título
  • URL
  • Meta description
  • Nome e descrição das imagens
  • Introdução, no corpo do seu post uma ou duas vezes e no último parágrafo

No entanto, se adicionar a palavra-chave para uma seção específica vai atrapalhar e impedir seu conteúdo de fluir naturalmente, evite-a.

Lembre-se que quanto mais valioso o conteúdo que você criar, mais rica é a experiência que você vai criar para o seu público-alvo. Novant Health gerou mais de 13.869 visitantes nos primeiros 4 meses de lançamento do seu site. Eles também conseguiram 14.874 pageviews.

image02

Eles se certificaram que os títulos fossem clicáveis e que eles estavam direcionando para as principais palavras-chave que seus clientes procuram. Você pode aprender com eles para melhorar o desempenho do seu próprio site.

image55

Você não está apenas pesquisando palavras-chave para jogá-las na sua página. Essa época – se ela realmente existiu – ficou para trás. Seu objetivo agora é entender porque o usuário procurou no Google por aquela palavra-chave específica, e qual a sua verdadeira intenção ao pesquisar.

Por exemplo, quando um usuário digitar “teste gratuito do Dropbox”, na caixa de pesquisa, aqui estão as perguntas que você deve se questionar como um redator de conteúdo:

  • Como é que o usuário saiba que o Dropbox existe?
  • Quem disse isso ao usuário?
  • Será que ele sabe que há uma versão gratuita, ou ele está apenas com a esperança de existir?
  • O que faz a oferta de teste gratuito, se é que existe?

Aqui estão as respostas simples para as perguntas acima, em ordem:

  • Alguém provavelmente recomendou Dropbox para ele.
  • Um amigo, membro da família ou conhecido disse ao usuário sobre o Dropbox.
  • Ele sabe sobre a oferta de teste gratuito, possivelmente porque ele visitou a homepage do Dropbox ou porque um amigo lhe deu detalhes.
  • Um teste gratuito é uma forma livre de risco para que os potenciais clientes do Dropbox conheçam o serviço antes de se comprometer e gastar dinheiro; isso é verdade para um teste grátis de qualquer software ou curso online. Um teste gratuito constrói a confiança e muitas vezes leva a maiores conversões após o período experimental acabar.

Se você estiver usando o conteúdo para gerar leads e aumentar as vendas, certifique-se de compreender os 3 tipos de compradores. O mais difícil de converter é o pão-duro. Eles só gastam dinheiro quando atingem o máximo do ponto de “dor de compra”, e eles constituem 24% de todos os compradores.

image07

Se você deseja converter os pães-duros e convencê-los a gastar dinheiro em seus produtos, então você tem que fornecer um grande valor quando eles visitam seu site, tais como cartões pré-pagos, descontos, recompensas e incentivos.

image23

Da mesma forma, existem diferentes tipos de visitantes que chegam à sua página através das ferramentas de busca. Três categorias de visitantes, em particular, são definidas pelas palavras-chave que eles usam.

image42

Mas não importa o nível específico de necessidade deles, todos os seus visitantes querem informações (sob a forma de conteúdo) antes que eles comprem alguma coisa de você. Isso significa que seu conteúdo tem que ser útil, bem organizado, interessante – e persuasivo.

Aqui estão os passos básicos para formatar seu conteúdo escrito (por exemplo, posts e artigos):

  • Título: 8 em cada 10 pessoas vão ler o seu título, então, torne-o atraente e sucinto. O comprimento ideal para o título é entre 60 e 65 caracteres.
  • Subtítulo: Isto é opcional, mas se você estiver usando um, então certifique-se que ele é esclarecedor e está diretamente ligado ao seu título.
  • Tópicos: Use tópicos para quebrar o seu conteúdo e torná-lo mais legível.
  • Bullet points: Use bullet points (marcadores) para destacar os benefícios, recursos e informações adicionais relacionadas a um tópico específico.
  • Conclusão: Seja breve. Conclusões curtas são mais cativantes, especialmente quando combinada com um call to action.

Nota: Em cada um desses elementos, seja claro e relevante, e inclua suas principais palavras-chave, desde que elas não interrompam o fluxo de leitura do texto.

Nos tópicos, preste mais atenção para a intenção do usuário – ou seja, a razão ou propósito por trás das palavras-chave. A “intenção” reflete a distância que permanece entre a mentalidade corrente do usuário e a conversão final – ou seja, o quanto o usuário tem que ir adiante antes que ele esteja disposto a comprar o seu produto, inscrever na sua lista ou ler mais do seu conteúdo.

image04

Um exemplo típico de um site que publica regularmente conteúdo otimizado para os usuários é o blog do Shopify. Dê uma olhada na estrutura do seu conteúdo:

image20

2). Otimização de conteúdo para o Google: O knowledge graph fornece resultados de busca personalizados para o usuário com base na localização, timing, pesquisas anteriores e outros fatores.

Por exemplo, este é o resultado que aparece se eu procurar por “quem é Larry Page”:

image11

Olhe para o resultado à direita. Lá, você pode ler um breve resumo dos dados biográficos de Larry Page, sem ter que clicar em qualquer página. Abaixo desse resultado, você verá outros empresários relacionados, como Mark Zuckerberg, Sergey Brin e assim por diante.

É o knowledge graph que torna possível para o Google saber o que as pessoas querem ver quando procuram informações sobre pessoas famosas – especialmente quando elas estão em mercados semelhantes.

Da mesma forma, quando eu procurar por “Justin Bieber,” o Google puxa resultados de outros músicos e celebridades famosas, porque eles perceberam que os usuários podem muito bem estar interessados em saber mais sobre os outros artistas também.

image38

Quando você está otimizando para o Google, o seu objetivo, como diz Brian Clark, é “alimentar os rastreadores de busca” com o seu conteúdo. Tornar tão fácil quanto possível para que os rastreadores encontrem os termos de busca na sua página.

Aqui está um exemplo típico de como a otimização para o knowledge graph se relaciona com o que o Google está procurando. Os rastreadores do Google são programas escritos para rastrear toda a internet à procura de novos conteúdos. E os rastreadores seguem um caminho bem estruturado ao rastrear a web.

image27

Os rastreadores, no entanto, não são as pessoas que clicam nos seus resultados de busca – esses são seus visitantes de busca. No entanto, o algoritmo do Google foi escrito de tal forma que proporciona respostas a algumas perguntas bem ali na página de resultados de busca – isso é o knowledge graph trabalhando.

O Google vai puxar respostas a partir de um site confiável e servi-los para o usuário. Então, quando eu procurar “como fazer caçarola,” eu não tenho que clicar em nenhum site para ver algumas dicas úteis sobre o assunto – elas estão logo ali:

image57

Os rastreadores ainda rastreiam páginas à procura de palavras-chave relacionadas e frases-chave que estão no banco de dados. A diferença é que, agora, o Google é muito mais focado na intenção por trás da palavra-chave.

image19

Assim, os rastreadores seguem o seu caminho e, em seguida, criam um índice baseado nas suas próprias regras (algoritmo), codificam todos os dados para economizar espaço para mais dados, e armazenam os dados para que eles estejam prontos para os usuários de busca.

Você tem um papel a desempenhar neste processo. Não há nenhuma maneira dos rastreadores do Google entenderem o conteúdo da sua página sem palavras-chave, especialmente no título e meta description.

Encher seu conteúdo de palavras-chave já não funciona mais – na verdade, isso pode realmente te penalizar agora – mas as noções básicas de SEO ainda permanecem. Você quer tornar mais fácil para o Google encontrar o seu valioso conteúdo e torná-lo acessível nas páginas de resultados de busca.

Lembre-se que a meta description não é apenas importante para o Google, mas também para os usuários. Qual resultado de busca é provável que você clique quando você faz uma busca por “como terceirizar SEO?”

image30

É bem provável que você clique no primeiro resultado. Não apenas porque o título se destaca (e inclui um número, como 36% dos clientes preferem), mas também porque a meta description (a área destacada em vermelho) é clara e fácil de ler.

image16

Mesmo que o primeiro resultado de “como terceirizar SEO” não tenha como alvo a palavra-chave exata no título, o Google foi, no entanto, capaz de descobrir o que é mais relevante e digno da posição #1. Isso é em parte devido a uma boa experiência do usuário no site, que traz de volta leitores fiéis e atrai novos visitantes através de busca.

image31

Vejamos o terceiro resultado de “como terceirizar SEO”.

image08

Searchengineland.com é um blog de autoridade, assim como Convince and Convert. Então, por que o searchengineland.com não está classificado em #1 para a palavra-chave?

Primeiro, vamos ver quantos links a URL tem. Estou usando Majestic.com para verificar isso:

image29

Foram gerados 11 links, em comparação com os 9 do primeiro resultado.

O que está acontecendo é: No passado, antes do Google Hummingbird, o número de links de confiança que sua página recebe era o fator mais importante. Isso foi o principal fator de classificação, mesmo para blogs novos.

Mas depois de Hummingbird, o Google está preocupado em primeiro lugar com os usuários e o que importa para eles. É por isso que o futuro do SEO não é o link building. O futuro do SEO é uma grande experiência do usuário.

Nesse post do QuickSprout, eu dei um exemplo do que é uma grande experiência do usuário. Aqui está um trecho:

Em essência, os sites com a melhor experiência do usuário vão ganhar no longo prazo. Isso significa que sites com conteúdo de boa qualidade, mídia, etc. tendem a classificar melhor no longo prazo.

Por que minha página para a palavra-chave “marketing online” aparece na terceira posição, muito acima de outros sites de destaque? Experiência de usuário.

Meu Guia para os Iniciantes em Marketing Online oferece uma grande experiência de aprendizagem para os usuários. Eu gastei cerca de US$ 40.000 para desenvolver o design e conteúdo dessa página da maneira certa. Isso pode parecer chocante – mas está começando a se pagar, em grande forma.

Então, o que acontece se um site de autoridade usa táticas antiéticas para construir links? Estou me referindo aqui a táticas, como a troca de links, links inativos em fóruns, a compra de links, etc. Será que o Google penalizará tal site?

É possível. Já aconteceu antes – várias vezes, na verdade – para sites como Target, Ebay, Walmart, entre outros. Mas se o site fornece uma grande experiência do usuário e é valioso para os visitantes, assumindo que a pena não foi manual, mas sim desencadeada, o Google provavelmente irá restabelecer o site.

Em poucas palavras, o knowledge graph ajuda o Google a encontrar as respostas certas para perguntas que as pessoas estão buscando. Não gaste todo o seu dinheiro e tempo em link building. Em vez disso, concentre-se nos seus usuários.

Construa uma audiência. Seja consistente com sua estratégia de conteúdo e continue nutrindo o seu público. Você com certeza vai ganhar o jogo de SEO – mesmo se você não tem uma tonelada de links de autoridade.

Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para melhorar a experiência do usuário em seu site:

  • Invista no design. Um tema em WordPress personalizado será muito mais profissional do que um tema grátis.
  • Crie títulos em negrito, que chamam a atenção do usuário.
  • Mire a principal palavra-chave no seu título, assumindo que ela vai fluir sem problemas. Se não, deixe a palavra-chave de fora.
  • Crie conteúdo orientado a dados: Use dados, estatísticas, imagens e figuras precisas para apoiar seu texto.
  • Torne-se ativo em mídias sociais para conseguir acesso aos sinais sociais, o que também pode impulsionar seus rankings.
  • Promova o seu conteúdo para alcançar e levar mais pessoas ao seu site para educar, nutrir e fornecer mais conteúdos detalhados para eles.

Transição do Motor de Busca do Google

Há alguns meses (dezembro de 2014), o Google anunciou que Freebase, o repositório de dados estruturados da empresa, seria fechado e seus dados seriam migrados para a wikidata.

Como é que tudo funciona? O colunista Edward Tony descreve claramente como ele coleta dados para melhorar o painel do knowledge graph nos resultados das ferramentas de busca.

O knowledge graph é basicamente usado para duas finalidades:

  • Ele ajuda o Google a melhorar a relevância da busca.
  • Ele apresenta caixas de resultados de pesquisa orientados que fornecem respostas diretas para a busca ou temas estreitamente relacionados a ela.

Por exemplo, ao procurar a palavra-chave “Kanye West” você verá mais um resultado de pesquisa à direita, e algumas imagens relacionadas.

image46

Se você quer aparecer no painel de resultados do knowledge graph e direcionar o tráfego orgânico mais qualificado para seu site, Tony Edwards recomenda que você dê estes 3 passos:

image32

Ao seguir estes passos, suas páginas, imagens e perfis sociais vão começar a aparecer no painel do knowledge graph no lado direito da página de resultados de busca. Tony já tem conseguido vários resultados:

image50

Edward também tem conseguido resultados para seu empregador (Elite SEM):

image36

Alguns dos melhores blogueiros também estão recebendo resultados de busca a partir do painel do knowledge graph. Quando você procurar por “Neil Patel,” você vai ver os meus resultados e outros relacionados no painel do knowledge graph, porque eu segui os três passos descritos acima:

image48

Nota: Ter um monte de conteúdos de alta qualidade no seu próprio blog e em blogs de outras pessoas (ou seja, guest posts atribuídos a seu nome) irá aumentar a sua marca pessoal. Por sua vez, isso dá ao Google muitos dados sobre você e as pessoas que estão ligadas a você.

Por exemplo, se você está ativo no Google+, o Google também vai puxar os dados de lá para entender as pessoas com quem você está conectado.

Então, guest post e marketing de mídias sociais são duas estratégias de marketing poderosas que você pode empregar para conseguir mais tráfego de busca, melhorar o desempenho do seu site nas buscas e fazer o seu negócio crescer.

1). Motor de informação: A taxa de fluxo de informação é alarmante. Se a Wikipedia fosse reproduzida em um livro, teria 2,25 milhões de páginas.

Um novo estudo do Telegraph descobriu que todos nós estamos sendo bombardeados por mais de 170 jornais de dados valiosos diariamente. Isso é uma quantidade incompreensível de informações para consumir.

Mesmo em uma plataforma móvel, há uma enorme quantidade de dados e informações que são jogadas aos usuários. Dê uma olhada nas estatísticas de aplicativos móveis do Localytics:

image17

Como os usuários sobrevivem neste mundo orientado aos dispositivos móveis cheio de milhares de aplicativos? Quantos aplicativos que um usuário realmente precisa para conseguir resultados? É muita informação. As pessoas estão se tornando rapidamente exaustas com tudo isso e querendo saber quando alguém vai resolver o problema.

Como você observou, sem dúvida, o Google está destacando respostas para as perguntas, não apenas para as palavras-chave que as pessoas estão procurando.

E como você pode ver nos resultados de busca a seguir para a palavra-chave “era da informação”, o Google aplicou negrito em outros termos que podem significar a mesma coisa que a minha busca. Assim, eles estão fornecendo respostas para a pergunta que você fez na página de resultados, sem fazer você clicar em qualquer link.

image43

Aqui está outro exemplo:

image35

2). Motor de Conhecimento: Todas as recentes atualizações no algoritmo do Google são voltadas para fazer do Google um motor de conhecimento – um lugar onde os usuários podem entrar e encontrar as informações que precisam imediatamente. Esse objetivo ficou ainda mais perto com o lançamento do Hummingbird.

image09

Fora dessa avalanche interminável de informações, o Google está construindo um motor de conhecimento. Esse é o objetivo do knowledge graph e knowledge vault.

image34

Isso coloca o usuário no controle total. E como um profissional de marketing de conteúdo, isso vai ajudá-lo muito se você puder se concentrar em educar seus usuários com cada pedaço de conteúdo que você cria.

Quanto mais você puder aprender sobre seus clientes, mais você irá descobrir sobre o que eles gostam atualmente – e mais fácil será para você alinhar o seu conteúdo para satisfazer as necessidades deles.

image47

E o Bing, DuckDuckGo, Yahoo e outros motores de busca? Claro, todos eles dão aos usuários acesso à informação, assim como o Google. No entanto, até agora eles não têm essa capacidade de identificar a intenção do usuário e servir conhecimento imediato tão bem quanto o Google faz.

image52

Como Melhorar Seu Tráfego e Rankings de Busca

Agora que você entende sobre o que é o knowledge graph, como você pode melhorar o seu desempenho de busca?

De acordo com Chitika, o primeiro link nos resultados orgânicos de busca recebe quase 33% do tráfego total da pesquisa. Enquanto isso, o segundo resultado recebe uma taxa de cliques de 11,94%.

image40

Se você quer melhorar seu desempenho de busca, então, seu trabalho é ajudar consistentemente o Google a obter mais dados sobre o seu site e seus usuários.

Em outras palavras, sobre o que quer que seja o seu site, você tem que fornecer os dados esperados e informações relacionadas a esse tópico para que o Google possa melhor avaliar suas páginas.

Quanto mais dados o Google tem a respeito de você, seu site e seu público-alvo, melhores são suas chances de aparecer no painel do knowledge graph.

image00

Se concentrar em tráfego de busca vale mesmo o seu tempo? Acho que a resposta tem que ser um incondicional “sim, absolutamente.” Como mostrou este estudo, a taxa de fechamento de lead-para-cliente do SEO é de 15%, o que supera todos os outros canais (exceto o tráfego direto, também 15%). A título de comparação, a taxa de fechamento para mídia social é de apenas 4%.

image37

A maneira de fornecer mais dados do seu blog para o Google é através da publicação consistente de conteúdo. Você precisa publicar regularmente.

No Quicksprout.com, eu certifiquei de publicar um post valioso e um infográfico a cada semana. Os resultados têm sido surpreendentes – mais de 700.000 visitantes do blog por mês e esse número continua crescendo.

Se você não pode publicar conteúdo a essa taxa em seu blog, então, certifique-se de publicar pelo menos um conteúdo de alta qualidade e detalhado (mais de 3.000 palavras) por semana.

O objetivo é equilibrar o conteúdo, social e SEO, a fim de tirar o melhor proveito do knowledge graph. Essa é a nova face do SEO que todos nós precisamos focar.

image44

Não negligencie as mídias sociais. Sua marca pessoal e conteúdo irão se beneficiar ao receber sinais sociais. O knowledge graph do Google também depende fortemente de sinais sociais, especialmente do Google+.

Em certo sentido, o foco em SEO eficaz nunca mudou. Sempre foi sobre o usuário, antes mesmo dos rastreadores de ferramentas de busca. O feedback que você recebe dos usuários forma a receita para o tipo de conteúdo valioso que vai resolver os problemas deles.

image22

Finalmente, para conseguir resultados a partir do knowledge graph, faça networking com blogueiros de autoridade, e mantenha-se ativo nas redes de mídia social. No entanto, não deixe que isso ocupe todo o seu tempo.

Afinal de contas, você precisa criar conteúdos relevantes que irão fornecer os dados mais valiosos para o Google sobre o seu site e seus usuários.

image03

Conclusão

O knowledge graph contém uma riqueza de informações e dados que o Google usa para mostrar aos usuários como fatos, pessoas e lugares são conectados uns aos outros e para entregar resultados de busca mais focados e relevantes.

Os resultados do knowledge graph se correlacionam com o algoritmo principal para atribuir os resultados certos das buscas e torná-los disponíveis para os usuários. O Google vai fornecer essas respostas na página de resultados de busca, eliminando trabalho extra para o usuário.

Acima de tudo, preste atenção nos usuários e crie uma ótima experiência de usuário para eles.

O que mais você sabe sobre o knowledge graph do Google? Atualmente, você gera tráfego a partir do painel do knowledge graph?

Share